Tema de Redação: Desafios para superar a violência urbana no Brasil

Texto 1: Violência urbana no Brasil

É inegável que vivemos dias difíceis, a violência em toda sua plenitude tem envolvido grande parte da sociedade mundial. No Brasil, a violência tem feito milhares de vítimas, em alguns casos esse ato é praticado pela própria família, além de inúmeros outros ocorridos nas ruas.

Ao observarmos o quadro atual da violência urbana, muitas vezes não nos atentamos para os fatores que conduziram a tal situação, no entanto, podemos exemplificar o crescimento urbano desordenado. Em razão do acelerado processo de êxodo rural, as grandes cidades brasileiras absorveram um número de pessoas elevado, que não foi acompanhado pela infraestrutura urbana (emprego, moradia, saúde, educação, qualificação, entre outros); fato que desencadeou uma série de problemas sociais graves.

A violência urbana tem ocasionado a morte de milhares de jovens no Brasil, é o principal fator de mortandade dessa faixa etária.
A criminalidade não é um “privilégio” exclusivo dos grandes centros urbanos do país, entretanto o seu crescimento é largamente maior do que em cidades menores. É nas grandes cidades brasileiras que se concentram os principais problemas sociais, como desemprego, desprovimento de serviços públicos assistenciais (postos de saúde, hospitais, escolas etc.), além da ineficiência da segurança pública. Tais problemas são determinantes para o estabelecimento e proliferação da marginalidade e, consequentemente, da criminalidade que vem acompanhada pela violência.

Os bairros marginalizados das principais cidades brasileiras respondem por aproximadamente 35% da população nacional, nesses locais pelo menos a metade das mortes são provocadas por causas violentas, como agressões e homicídios. Isso é explicado quando nos deparamos com dados de São Paulo e do Rio de Janeiro, onde 21% de todas as mortes são provenientes de atos violentos.
Essa situação retrata a ineficiência do Estado, que não tem disponibilizado um serviço de segurança pública eficaz à sua população. Enquanto o poder do Estado não se impõe, o crime organizado se institui como um poder paralelo, que estabelece regras de ética e conduta própria, além de implantar fronteiras para a atuação de determinada facção criminosa.

Algumas cidades do país apresentam um percentual de mortandade proveniente de atos de violência que equivale aos do Iraque, país em guerra.
O Brasil responde por 10% de todos os homicídios praticados no mundo, segundo dados de um estudo realizado a pedido do governo suíço, divulgado no ano de 2008, em Genebra.

Fonte

 

Texto 2: Violência Urbana no Brasil

A violência urbana no Brasil deriva da desigualdade social e econômica.

Se tomarmos apenas como exemplo os homicídios, a violência urbana no Brasil atinge principalmente pessoas negras e os jovens.

Fonte: Atlas da violência/Ipea. Infográfico: Sarah Azoubel

 

Texto 3: 

O que causa tanta violência?
As causas do aumento da violência no Brasil são complexas e envolvem questões socioeconômicas, demográficas, culturais e políticas.

A pobreza e a desigualdade social são comumente apontadas como fatores que estimulam a violência e a criminalidade. De fato, jovens que vivem em comunidades carentes são aliciados por traficantes e veem no crime uma opção de vida.

Porém, a redução dos índices de pobreza do país não foi acompanhada de semelhante queda nos índices de criminalidade. Na última década, 40 milhões de brasileiros saíram da pobreza em razão da estabilidade econômica e programas sociais.

Além de falhar nos fatores preventivos – fornecendo educação, moradia e emprego para famílias carentes – o Estado também falha na repressão ao crime organizado.

As polícias civil e militar no Brasil são mal remuneradas e conhecidas pela corrupção e truculência.

A violência policial no país é constantemente alvo de denúncias por entidades como a Anistia Internacional, em casos emblemáticos como os massacres do Carandiru (1992) e da Candelária e do Vigário Geral (1993).

Por outro lado, o sistema penitenciário, que deveria contribuir para a recuperação de criminosos, tornou-se foco de mais violência e criminalidade, em cadeias e presídios superlotados.

Dados do Governo Federal apontam que, entre 1995 e 2005, a população carcerária cresceu 143,91%, passando de 148 mil para 361 mil presos.

De 2005 a 2009, o crescimento foi de 31,05%, chegando a 474 mil detentos. Hoje, há um déficit de 195 mil vagas no sistema prisional brasileiro.

Há, por fim, uma sensação de impunidade, provocada pela lentidão da Justiça brasileira.

Segundo o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), de 90 milhões de processos que tramitaram nos tribunais em 2011, 71% (63 milhões) encerraram o ano sem solução, ou seja, de cada 100 processos, 71 não receberam sentenças graças ao acúmulo de trabalho e à burocracia.

Fonte

Proposta de Redação

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema ”Desafios para superar a violência urbana no Brasil”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Willian Afonso

Professor de idiomas, filosofia e redação.

4 thoughts to “Tema de Redação: Desafios para superar a violência urbana no Brasil”

  1. Na sociedade a violência sempre esteve presente, no entanto durante os últimos anos esta vem apresentado um significativo aumento devido a inúmeros fatores, o que por sua vez precupa as autoridades e prejudica o bem-estar da população, a qual além de infrentar problemas sociais esta sob ameaça da violência urbana.
    De certo tal problemática deriva de impasses sociais que o Brasil ainda não foi capaz de superar, deste modo a ineficaz atuação governamental, apresenta como consequência um constante crescimento da violência nas cidades, prejudicando assim toda a sociedade , a qual conforme dados do G1 sofreu em uma semana 1.195 mortes entre os dias 21 e 27 de agosto do ano de 2018, tal fato alarmante evidência um dos maiores desafios do país.
    Deste modo além dos problemas sociais os quais colaboram com a elevada criminalidade, há um evidente equívoco da parte dos administradores do país, os quais acreditam que o combate a violência deve ser feito através de investimentos em armamentos, tal pensamento ultrapassado se repete no Sistema Carcerário o qual ao invés de ter como princípio a reabilitação dos detentos, e usado com o propósito de penalizar estes . No entanto assim como Nelson Mantella afirmava “A educação E a arma mais poderosa que podemos usar para mundar o mundo.” Assim portanto para a redução da violência urbana e necessário não uma segurança armada a e qualificada, mais sim o combate aos problemas sociais por meio da educação.
    Portanto cabe ao Governo Federal juntamente com o Ministério da Segurança, modificar a estratégia que vem sendo usada no combate a violência e ao crime , substituindo o obsulento pensamento e aderindo a formas mais eficazes, sendo uma dessas a educação E o investimento na inteligência da segurança, além disso e essencial garantir que as futuras gerações não se submetam ao crime para isso é necessária a atenção dos governantes, aos problemas sociais presentes nas periferias e a pobreza, além disso para a eficácia das mudanças e dos resultados e de suma importância a cooperação da população, com a participação de todos o êxito das mudanças será certo.

  2. Ao longo da história mundial é notória a presença da violência, está caracterizou diversos episódios históricos, entre os quais se encontra as guerras mundiais. Atualmente é evidente que tal problema apresenta-se ativo em uma sociedade que ainda não conseguiu se libertar do passado, mostrando-se assim amarrada e impossibilitada de avançar rumo ao progresso.
    Sob esta esta perspectiva, é necessário quebrar correntes, no entanto esta é uma árdua tarefa, pois as origens da violência urbana são diversas. Recentemente devido ao alto índice de criminalidade o governo declarou a intervenção federal no estado do Rio De Janeiro (um dos mais violentos do pais), no entanto esta medida não foi suficiente, sendo necessárias mudanças mais profundas que englobem setores de serviços básicos.
    No entanto a realidade brasileira apresenta-se caótica, segundo dados do G1, em uma semana ocorreram cerca de 1195 mortes no país, além do mais investimentos na segurança pública são ineficazes, chegando a desencadear outro problema “a superlotação em presídios”, porém deve-se seguir a ideologia de Vitor Hugo, construindo desta forma mais escola e fechando presídios, ademais a segurança da população é um direito, sendo inaceitável a ausência destes assegurado pela constituição brasileira um documento promulgado devido a luta das classes.
    Desta forma é necessário a realização de medidas que possibilite o combate a violência urbana, de acordo com Nelson Mandela o bem mais poderoso que se pode usar para mudar o mundo é a educação, desta forma é preciso que o Ministério Da Educação promova campanhas nas mídias que visem conscientizar a todos, sobre a importância do respeito e da tolerância, além de promover uma Base Comum Curricular á toda as instituições de ensino, oferecendo mais oportunidades a jovens, com medidas como estas é possível quebrar as correntes e honrar a frase positivista que consta na bandeira nacional, caminhado rumo a ordem e ao progresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *