Tema: Alternativas para estimular a reciclagem no Brasil

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Alternativas para estimular a reciclagem no Brasil”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1: Reciclagem No Brasil: Panorama Atual e Desafios Para O Futuro
 

De acordo com dados da ABRELPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), em 2016 a média de produção de lixo per capta no Brasil era de 1kg/dia. Considerando que somos quase 208 milhões de habitantes, conforme estimativa do IBGE (2017), é possível ter uma noção da quantidade de “lixo” que é gerada anualmente em todo o Brasil. Só em 2016, foram mais de 78 milhões de toneladas. Entretanto, não temos dimensão do problema que isso representa, uma vez que com a coleta pública de resíduos, que na maioria das cidades ocorre, no mínimo, três vezes por semana, é muito simples conviver com essa realidade. Afinal a partir do momento que o lixo sai da nossa vista a gente não se preocupa mais com a destinação final desse material.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal 12.305/2010) determina que todo material produzido pelas atividades domésticas e comerciais que serão possíveis de coleta pelos serviços de limpeza pública, deve ser encaminhado para destinação final apenas quando não é possível seu reaproveitamento, seja por meio da reciclagem, da reutilização, da compostagem ou da geração de energia. Quando não existir tecnologias viáveis os resíduos devem ser destinados a aterros sanitários. Entretanto, do volume produzido em 2016, quase 30 milhões de toneladas não tiveram a destinação adequada, o que representa um percentual de 41,6% do total gerado, o que transforma os resíduos sólidos em um grave problema ambiental, pois o descarte inadequado pode carregar esse material para os córregos e rios e consequentemente, alcança os oceanos, além da problemática dos lixões, os impactos na saúde pública dentre outros efeitos negativos.

De acordo com a definição do Ministério do Meio Ambiente, reciclagem é um conjunto de técnicas de reaproveitamento de materiais descartados, reintroduzindo-os no ciclo produtivo. De todo lixo produzido no Brasil, 30% tem potencial para ser reciclado, porém apenas 3% deste total é efetivamente reciclado. A reciclagem é uma excelente alternativa para a problemática de resíduos sólidos urbanos, alcançando a esfera ambiental, o âmbito social e o desenvolvimento econômico.

Fonte: https://portal.fmu.br/reciclagem-no-brasil-panorama-atual-e-desafios-para-o-futuro/

Texto 2: Reciclagem

A reciclagem é um processo em que determinados tipos de materiais, cotidianamente reconhecidos como lixo, são reutilizados como matéria-prima para a fabricação de novos produtos. Além de se apresentarem com propriedades físicas diferentes, estes também possuem uma nova composição química – fator principal que difere o reaproveitamento da reciclagem, conceitos estes muitas vezes confundidos.

Este processo é importante, nos dias de hoje, porque transforma aquilo que iria ou já se encontra no lixo em novos produtos, reduzindo resíduos que seriam lançados na natureza, ao mesmo tempo em que poupa matérias-primas, muitas vezes oriundas de recursos não renováveis, e energia. Para produzir alumínio reciclado, por exemplo, utiliza-se apenas 5% da energia necessária para fabricar o produto primário.

Em nosso país, quase toda a totalidade de latinhas descartáveis e garrafas PET são recicladas. Entretanto, plásticos, latas de aço, vidro, dentre outros matérias, são pouco considerados neste processo, reforçando as estatísticas que apontam que somente 11% de tudo o que se joga na lata de lixo, em nosso país é, de fato, reciclado.

No Brasil, Curitiba (PR), Itabira (MG), Santo André (SP) e Santos (SP) são as cidades que mais reciclam seus materiais.

Fonte: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/reciclagem.htm

Texto 3: Os desafios do mercado da reciclagem no Brasil

Falta de viabilidade econômica, estrutura, pessoal qualificado e informação impedem o crescimento do setor no país

A taxa de reciclagem hoje no Brasil é baixíssima. Falta de viabilidade econômica, de estrutura física de coleta e triagem, de profissionais, de informação para as pessoas e de logística reversa são alguns dos muitos obstáculos ao crescimento do setor no país. O Diagnóstico do Manejo de Resíduos Sólidos Urbanos sobre o ano de 2017, lançado pela Secretaria de Saneamento, ligada ao Ministério do Desenvolvimento Regional, em fevereiro, revelou que somente 5,4% dos materiais potencialmente recicláveis coletados pelo setor público nas casas e ruas das cidades são, de fato, recuperados (não entram na conta os números de entidades privadas que trabalham com reciclagem ou compostagem).

Papel, vidro, metal e plástico são resíduos completamente recicláveis e, juntos, representaram 68% da coleta seletiva no Brasil em 2018, segundo o Cempre Review 2019, estudo elaborado pelo Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre). Porém, dependendo da combinação desses materiais, do peso e do volume, a reciclagem de alguns produtos torna-se cara, difícil e, portanto, muito pouco abrangente no país. Esses resíduos viram rejeitos e respondem por 26% da coleta seletiva, sem contar os que vão direto para lixões e aterros na coleta tida como “comum”.

Fonte: https://projetocolabora.com.br/lixo/os-desafios-da-reciclagem-no-brasil/

Texto 4: Gráficos

Fonte: https://wiki.redejuntos.org.br/busca/indices-globais-e-nacionais-do-reaproveitamento-indices-mundiais-de-reciclagem-e-gestao-de

Texto 5: Charge

Fonte: http://gilmaronline.blogspot.com/2018/01/charge-lixo.html

 


 

 

 

Willian Afonso

Professor de idiomas, filosofia e redação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *