Tema: Desafios para a inserção das mulheres no mercado de trabalho

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Desafios para a inserção das mulheres no mercado de trabalho”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1: A mulher no mercado de trabalho

A participação da mulher no mercado de trabalho brasileiro tem ganhado destaque principalmente nos últimos anos. Em 2007 a presença feminina representava 40,8% do mercado formal. Já em 2016, esse número subiu para 44%. Os dados são do Ministério do Trabalho e são baseados em pesquisas do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged) e da Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Apesar desse crescimento, uma parte das mulheres ainda tem que passar por dificuldades que muitos homens não encontram, tais como o equilíbrio entre atividades domésticas versus o emprego fora de casa e a diferença salarial. Mesmo com desafios maiores, grande parte delas batalha diariamente para manter ou até mesmo criar seu espaço nas empresas.

Fonte: https://www.ibccoaching.com.br/portal/mercado-trabalho/mulher-no-mercado-de-trabalho/

Texto 2: Consolidação das leis do trabalho

SEÇÃO V

DA PROTEÇÃO À MATERNIDADE

Art. 391 – Não constitui justo motivo para a rescisão do contrato de trabalho da mulher o fato de haver contraído matrimônio ou de encontrar-se em estado de gravidez.

Parágrafo único – Não serão permitidos em regulamentos de qualquer natureza contratos coletivos ou individuais de trabalho, restrições ao direito da mulher ao seu emprego, por motivo de casamento ou de gravidez.

Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm

Texto 3: Cerca de 4 milhões de mulheres entraram no mercado de trabalho

A maioria ainda está procurando emprego. Crise intensificou movimento que já vem da década de 1990

RIO — A entrada da mulher no mercado de trabalho ganhou força nos últimos quatro anos. A emancipação já vinha acontecendo rapidamente desde os anos 1990, mas a crise, que começou em 2014, intensificou esse movimento. Nos últimos anos, quatro milhões de mulheres entraram no mercado. Entre o terceiro trimestre de 2014 e o mesmo período de 2018, o crescimento foi de 9,2%, segundo dados da pesquisa Pesquisa Nacional por Amostra de Domicilios (Pnad Contínua), do IBGE. Com isso, elas representam quase a metade da toda a força de trabalho no Brasil. No mesmo período, 2,2 milhões de homens entraram no mercado, praticamente a metade do grupo feminino.


A estagnação econômica que veio a seguir da recessão não rendeu bons frutos para as mulheres que decidiram buscar independência financeira e aumentar a renda familiar. Da nova mão de obra feminina, 75% delas, ou três milhões, ainda estão desempregadas.

E boa parte das que conseguiram trabalho está na informalidade, sem proteção social, mesmo com a escolaridade maior das mulheres, quando comparado com o nível de ensino dos homens.

Fonte: https://oglobo.globo.com/economia/cerca-de-4-milhoes-de-mulheres-entraram-no-mercado-de-trabalho-23259033

Texto 4: Presença de mulheres no mercado de trabalho avança pouco e chega a 43%

Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/06/1642780-presenca-de-mulheres-no-mercado-de-trabalho-avanca-pouco-e-chega-a-43.shtml
 

 

Willian Afonso

Professor de idiomas, filosofia e redação.

One thought to “Tema: Desafios para a inserção das mulheres no mercado de trabalho”

  1. A revolução industrial, ocorrida a partir do século XVIII,na Inglaterra,resultaram em diversas transformações políticas, econômicas e sociais.Entre essas transformações,a mulher teve seu papel invertido,pois,antes era a melhor opção no meio industrial,e hoje no século XXI,a inserção das mulheres no mercado de trabalho tem sido um desafio.No entanto,tal problema reflete na visão maxista que a sociedade impõe em relação a mulher.
    Em uma primeira análise,é importante ressaltar que a participação da mulher no mercado de trabalho é essencial.De acordo com o IBGE(Instituto Brasileiro De Geografia e Estatística),a participação feminina no mercado de trabalho nesses últimos 4 anos,obteve um curto avânço, porém,a presença masculina continua predominando.
    Em uma segunda análise,cabe relacionar a visão da sociedade diante dessa dificuldade em inserir a mulher no meio do trabalho.Portando,é nítido que o maxismo junto com o que a sociedade impõe,dizendo que,”a mulher é frágil e não deve ser ou receber o mesmo que o homem”da ênfase ao problema e consequentemente dificulta o acesso da mulher a um trabalho com carteira assinada.
    Diante disso,medidas devem ser tomadas para resolver esse impasse.Portanto,o estado deve revisar as leis e favorecer a mulher a ter as mesmas condições do homem,para não haver preconceitos e desigualdades em relação ao trabalho,já que a mulher muita das vezes lidam com o trabalho melhor do que o homem.Assim,com o intuito de estabilizar a situação feminina no trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *