Como criar um modelo nota 1000 para a Redação do Enem

Você já consegue notas altas na redação, mas não chega nunca aos 1000 pontos? Você se perde no meio do parágrafo e termina se embolando todo? Este artigo então é para você! Leia com cuidado e coloque tudo em prática na sua próxima redação.

Toda semana, nas segundas-feiras, coloco um tema aqui no blog para você desenvolver.

Introdução

A introdução será o parágrafo de 5 a 7 linhas no qual você dirá sobre o que irá escrever e por que irá escrever sobre isso. Aqui você precisa mostra ao corretor que entendeu o tema completamente. Consta principalmente de:

Alusão

Contextualizar o texto. Pontua na competência 1, 2 e 4. Qualquer uma das revoluções históricas pode ser usada como alusão: Iluminismo, Revolução Francesa, Revolução Industrial, Globalização, etc.

Documentos importantes também funcionam bem aqui: Declaração dos Direitos Humanos, Constituição Federal, leis específicas sobre os direitos das pessoas afetadas pelo tema.

Músicas com cunho social, citações de filósofos são outra opção valiosa para sua alusão. Ao utilizar autores de frases célebres, você está mostrando a autoridade deles para favorecer sua argumentação.

Se você estiver atento às aulas de história, se dará muito bem neste começo. Porém, você deve evitar explicar demais o período histórico. Faça assim, uma alusão breve clara e que facilite a entrada da tese.

 

Tese

Depois de uma alusão breve, clara e que mostre a importância do tema, você precisa elabora a TESE, ou seja, sua opinião sobre o tema. Se a sua alusão falou algo de ideal, sua tese deve mostrar como isso não acontece nos dias atuais.

Agora, se sua alusão falou do quanto o problema está presente na história da humanidade ou na frase célebre que você utilizou, ou então na música que você citou; neste caso, sua tese deve ser mostrar como este problema ainda existe nos tempos atuais.

Para começar sua tese, você pode usar conectivos como: contudo, entretanto, no entanto, etc. caso você contraste sua tese com a alusão. Se pelo contrário, você quer demonstrar somente a continuidade do problema presente na alusão, use termos como: hodiernamente, atualmente, no Brasil atual, na contemporaneidade, etc.

Projeto de texto

Aqui você encerrará o parágrafo de introdução e mostrará o corretor o que pretende fazer nos próximos parágrafos. Você pode fazer isso por:

Apresentação de argumentos

Isso se evidencia tanto por/pelo(a) ARGUMENTO 1, como por/pelo(a) ARGUMENTO 2.

Você não precisa explicar seus argumentos aqui. Você o fará nos parágrafos seguintes com outras palavras (sinônimos).

Encaminhamento argumentativo

Nesse sentido, convém analisar as principais causas/consequências/fatores históricos que favorecem a persistência dessa problemática (especifique a problemática se puder).

O encaminhamento depende assim, do que você pretende argumentar. Não coloque causas se você não pretende analisar as causas, nem fatores históricos se você não pretende desenvolver os fatores históricos.

Se quiser saber mais sobre como fazer uma introdução perfeita e ainda aprender 8 tipos de introdução com exercícios específicos, clique AQUI.

Desenvolvimento

Seu desenvolvimento terá 2 argumentos, um para cada parágrafo. Esses parágrafos podem conter de 6 a 8 linhas, mas o importante é que sua mensagem fique bem clara, coerente e coesa.

Argumento 1

Explique o argumento

Por que você afirmou aquela opinião na tese? Aqui você demonstra como o problema acontece, encontra culpados (Governo, Famílias, Sociedade, Educação, Cultura, etc.)

Antes, você deve ter lido os textos motivadores para ver quais são as provocações ali presentes. Os argumentos podem sair dos textos motivadores e evitarão que você tangencie o tema.

Prove o argumento

Você pode fazer citação de filósofos, colocar um dado de notícia, etc. A segunda frase pode ser feita com uma expressão do tipo: Segundo (autor), De acordo com (autor), conforme uma notícia publicada no (jornal, fonte de pesquisa). Desse modo, seu argumento estará sendo provado com a autoridade de um autor ou de uma notícia.

Coloque marca de autoria

Na última frase do seu parágrafo de argumentação, você demonstrará o quanto está indignado(a) com a situação. Expressões que mostrem a precariedade do sistema, o quanto infelizmente tal problema acontece, a desigualdade social, entre outros, favorecem essa marca de autoria. Sem a crítica sua dissertação não será argumentativa.

Se você quiser saber como construir um parágrafo de desenvolvimento completo, com vários exemplos e exercícios, clique AQUI.

Argumento 2

Você irá reforçar o argumento 1 por meio de outro argumento. Comece o parágrafo com um conectivo de soma (Além disso, cabe ainda ressaltar, outro aspecto a ser considerado) ou de contraste (Entretanto, por outro lado,) caso você esteja colocando um argumento positivo e outro negativo.

A dinâmica do argumento 2 será a mesma do argumento 1: Explicar o tema, provar e criticar. Quando ler os 2 argumentos, perceba se eles deixam sua tese convincente. Você pode variar também em relação à citação: colocar frase de um filósofo no primeiro parágrafo e dados no segundo parágrafo. Aquele gráfico do texto motivador pode ser colocado aqui.

 

Conclusão

Na sua conclusão você deve:

Retomar a tese

Mostra a urgência de se resolver o problema, a necessidade de tomar medidas, de encontrar soluções.

Não se esqueça de começar com um conectivo de conclusão (Com isso, portanto, logo…).

Fazer a proposta de intervenção

Mostrar quem será o AGENTE (Cabe ao…), a AÇÃO (criar, promover, fiscalizar…), o MEIO (por meio de…, como…, mediante…, com) e a FINALIDADE (para…, com o intuito de…). Quanto mais específico o agente, melhor. A ação não pode ser abstrata (conscientizar, amar, rssss).

A proposta deve ser coerente com a argumentação. Os responsáveis pelo problema devem ser agentes para a solução ou então devem ser punidos por outros agentes.

Você precisa detalhar uma proposta principal. A proposta secundária serve para reforçar a principal. Se sua solução resolver os dois problemas, melhor ainda.

Se você quer aprender a fazer uma excelente conclusão, clique AQUI.

Caso tenha gostado do artigo, clique em curtir na barrinha ao lado e compartilhe nas suas redes sociais.

Um grande abraço!

Willian Afonso

Professor de idiomas, filosofia e redação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *