Tema: Caminhos para prevenir o suicídio entre jovens no Brasil

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Caminhos para prevenir o suicídio entre jovens no Brasil”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1: Estável, suicídio entre jovens ainda é quarta causa de morte no Brasil

Após 15 anos de crescimento, número de suicídios no país estabilizou; índices em RR, PI e RS, no entanto, são maiores que a média nacional

O suicídio aumentou gradativamente no Brasil entre 2000 e 2016: foi de 6.780 para 11.736, uma alta de 73% nesse período. As maiores taxas de crescimento foram registradas entre jovens e idosos, do acordo com o Ministério da Saúde.

No mundo, o suicídio acomete mais de 800 mil pessoas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). É a segunda causa de morte no planeta entre jovens de 15 a 29 anos — a primeira é a violência.

Já no Brasil, em 2015, o suicídio foi a quarta causa de morte nessa mesma faixa etária, ficando atrás de violência e acidente de trânsito, de acordo com os dados do Ministério da Saúde.

No entanto, esse número tem apresentado uma pequena estabilização nos útlimos dois anos, inclusive nesses grupos, conforme explica o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, responsável pela pesquisa Mapa da Violência no Brasil desde 1998. 

“Houve uma leve oscilação para baixo que ainda não pode ser considerada uma tendência de queda, pois é bem pouco significativa. Houve certa estabilização depois de um tempo de crescimento constante em todas as faixas etárias. Uma melhora na taxa que antes era de crescimento contínuo”, afirma.

“Os dois últimos anos marcam essa pequena estabilização. Só podemos falar em tendência após três anos consecutivos de queda. Estamos no segundo ano, então isso pode ser apenas uma oscilação e não uma queda”, completa.

Ele explica que a incidência de suicídio entre a população brasileira passou de 4,1 em 100 mil habitantes no ano 2000 para 5,5 em 100 mil habitantes em 2016.

Fonte: https://noticias.r7.com/saude/estavel-suicidio-entre-jovens-ainda-e-quarta-causa-de-morte-no-brasil-21052018

Texto 2: Adolescentes e suicídio

Grande parte dos estudos nesse campo procurou investigar se existia associação entre as histórias sobre suicídio que aparecem na mídia e o aumento do índice de suicídio na população em geral. Embora o assunto ainda seja objeto de controvérsias, algumas pesquisas sérias indicam histórias sobre suicídio na mídia, nas novelas e em documentários, todas estão associadas a uma elevada taxa de suicídio. Há, além disso, posicionamentos contra a exposição dos jovens ao grande volume de informações, histórias e grupos de discussão na Internet sobre suicídio, que podem incitar a conduta (O conjunto das reações que se podem observar num indivíduo, estando este em seu ambiente, e em dadas circunstâncias) suicida.

Os filhos podem ser protegidos de idéias suicidas pelos seus pais ao deixarem bem claro o quanto eles são importantes. Quando o adolescente se sente valorizado e amado, estará muito menos inclinado a querer terminar com a própria existência.

Sintomas de tendências suicidas

Semelhantes com os sintomas da depressão, com a agravante que muitos adolescentes com tendências suicidas distribuem seus pertences, fazem desenhos ou escrevem sobre o extermínio e o ato de extinguir-se.

Os progenitores têm de estar atentos, prevenidos e acautelados, sobretudo se o jovem tem conduta autodestrutiva, fica dizendo que não vale nada ou que é um peso para os outros, e que preferia estar morto.

Estudos e pesquisas já demonstraram que evidências irrefutáveis de muitos dos jovens que se suicidaram deixaram inúmeras pistas. Já haviam mencionado a uma ou mais pessoas que eles ou os outros estariam “melhor se estivessem mortos”. É um tipo de comentário que não deve ser ignorado. Um adolescente que faz esse tipo de comentário precisa saber que é muito querido pela família e ouvir constantemente que é uma pessoa muito importante para todos.

É importante estar com a atenção redobrada se o jovem que andava “na fossa” por um bocado de tempo, de repente e sem razão aparente, fica todo feliz e despreocupado. Infelizmente, esse entusiasmo é súbito, na maioria das vezes, decorrente do alívio que sentem porque tomaram a decisão de se matar. Os pais devem, de imediato, conversar com o filho e buscar aconselhamento profissional se desconfiam que o jovem tem intenção suicida.

Fonte: https://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/doencas-saude/adolescentes-suicIdio.htm

Texto 3: Gráficos

Fonte: https://www.icict.fiocruz.br/content/n%C3%A3o-h%C3%A1-lirismo-no-suic%C3%ADdio-quando-os-anos-s%C3%A3o-poucos

Texto 4: Propaganda

Fonte: http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=25027


 

Willian Afonso

Professor de idiomas, filosofia e redação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *