A poluição nas grandes cidades brasileiras

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “A poluição nas grandes cidades brasileiras”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1: A poluição nas grandes cidades
 

Toda cidade é caracterizada pela aglomeração de pessoas, nas grandes cidades a concentração de pessoas gera vários detritos ou sujeiras provocadas pelas relações sociais (industriais, comerciais, culturais e residenciais).

O problema da poluição urbana ocorre desde o século XIX, na Inglaterra no início da revolução industrial, hoje, depois que o mundo passou por três revoluções industriais e pelo crescimento populacional, esse se encontra com uma população de mais ou menos 6 bilhões de pessoas consumindo e gerando lixo e poluição.

O lixo é um dos principais problemas nos grandes centros urbanos, principalmente nos países de primeiro mundo, um exemplo é os EUA que produzem cerca de 10 bilhões de toneladas de lixo sólido ao ano, um dos principais agentes poluidores são as embalagens descartáveis. Uma maneira de diminuir a quantidade de lixo é aplicando medidas para amenizar e reduzir, o consumo, reutilizando e reciclando produtos.

Os lixões são grandes depósitos de lixo a céu aberto, são ambientes com grande probabilidade de contração de doenças, o mau cheiro chega a ser insuportável, por causa do estágio de decomposição dos elementos ali depositados, além de produzir chorume, que é um líquido resultante do lixo, esse possui coloração escura e é bastante ácido.

Fonte: https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/a-poluicao-nas-grandes-cidades.htm

Texto 2: Poluição nos centros urbanos

As cidades representam, desde a constituição da modernidade industrial, os principais centros econômicos, sociais e geográficos do mundo, aglomerando em torno de si a maior parte de investimentos e serviços. Além disso, segundo a ONU, desde 2007, o número de pessoas vivendo em espaços urbanos ultrapassou os habitantes residentes no meio rural, algo já comum em países desenvolvidos e até em boa parte dos emergentes, incluindo o Brasil.

Todavia, esse desenvolvimento urbano manifesta-se acompanhado por uma série de problemas, incluindo aqueles de ordem ambiental. Não obstante, a poluição nos centros urbanos tornou-se uma das problemáticas mais evidentes a serem enfrentadas nas esferas da qualidade de vida das cidades e também na preservação do meio natural. A elevada emissão de poluentes tóxicos na atmosfera, além da degradação de recursos naturais florestais e hídricos, constitui alguns dos principais desafios a serem superados.

Nesse sentido, podemos elencar três tipos principais de poluição urbana a serem combatidos ou reduzidos: a poluição do ar, a poluição hídrica e a poluição e degradação dos solos. Atenuar os efeitos dessas ações antrópicas no espaço das cidades é de fundamental importância para garantir aquilo que se denomina por sustentabilidade urbana, ou seja, a promoção de um desenvolvimento urbano que não comprometa o meio ambiente para as gerações futuras.

Fonte: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/poluicao-nos-centros-urbanos.htm

Texto 3: A poluição nas grandes cidades é ainda mais letal do que se supunha

Pesquisadores alemães anunciaram o resultado de uma pesquisa sobre os efeitos da poluição atmosférica na saúde humana. Segundo seus cálculos, todo ano, quase 9 milhões de pessoas morrem precocemente por respirar ar poluído. Esse número é mais do que o dobro dos 4,2 milhões estimados anteriormente pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A diferença vem do desenvolvimento de um modelo global mais sofisticado e, principalmente, de um melhor entendimento dos efeitos do material particulado ultrafino, o PM-2.5 (partículas com diâmetro médio menores do que 2,5 micrômetros. O diâmetro do cabelo humano mais fino tem cerca de 50 micrômetros, vinte vezes maior). Esse resultado é duplamente preocupante no Brasil, porque não seguimos os padrões de qualidade do ar definidos pela OMS. Existem planos e cronogramas para tal, mas estes não definem uma data a partir da qual os padrões da OMS começam a valer. Detalhes em matéria d’O Eco.

Por falar em poluição, Dani Chiaretti, do Valor, conta que um dos trabalhos divulgados durante a Assembleia da ONU Meio Ambiente da semana passada dava conta que a indústria da moda é mais poluente do que a aviação e a navegação. No ciclo de vida completo das roupas, a soma dos impactos da produção agrícola, da produção animal, da produção de fibras sintéticas a partir do petróleo e da poluição da confecção são preocupantes, principalmente pelo uso de água e pelos efluentes gerados. Mas o maior impacto vem de quase não haver reuso, reaproveitamento e reciclagem de tecidos. Daniela escreve que “o dado impressionante é que se perde cerca de US$ 500 bilhões ao ano com o descarte de roupas que vão direto para aterros e lixões e sequer são recicladas.” Pior, cerca de meio milhão de toneladas de microfibras poluirão os oceanos do mundo.

Boletim ClimaInfo, 22 de março de 2019.

Fonte: https://climainfo.org.br/2019/03/22/a-poluicao-nas-grandes-cidades-e-ainda-mais-letal-do-que-se-supunha/

Texto 4: Poluição do ar mata mais de 50 mil por ano no país, diz OMS

Fonte: https://valor.globo.com/brasil/noticia/2018/05/02/poluicao-do-ar-mata-mais-de-50-mil-por-ano-no-pais-diz-oms.ghtml

Texto 5: Charge

Fonte: https://br.pinterest.com/pin/535998793146043567/

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!