Os acidentes de trabalho em questão no Brasil

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Os acidentes de trabalho em questão no Brasil”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1: Como é a realidade dos acidentes de trabalho no Brasil?

Os acidentes de trabalho ainda são uma triste realidade para todos os brasileiros, segundo dados divulgados pela Previdência Social, cerca de 5 milhões de acidentes de trabalho aconteceram por ano aqui no Brasil, entre 2007 e 2013, onde cerca de 45% acabaram em morte, em invalidez permanente ou afastamento temporário do emprego.Nesse período, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) desembolsou quase R$ 58 bilhões com indenizações aos acidentados. Esses dados são bem preocupantes, já que o trabalhador sofre com consequências físicas e psicológicas.

Além disso, o INSS apontou que em terceiro lugar, os prejuízos possivelmente são suportados pela empresa. Para que isso seja diminuído, o Ministério do Trabalho e Emprego lançou em 2015 a Estratégia Nacional para Redução de Acidentes do Trabalho. Esse processo foca em ampliar as ações do governo para reduzir os acidentes e as doenças de trabalho no Brasil a partir destes quatro parâmetros, intensificação das ações fiscais; pacto Nacional para Redução dos Acidentes e Doenças do Trabalho no Brasil; Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho e  ampliação das análises de acidentes de trabalho realizadas pelos auditores fiscais do trabalho, melhorando sua qualidade e divulgação.

Nessa campanha, segundo informações do Ministério do Trabalho, de janeiro a março, foram realizadas 26.378 ações fiscais em Saúde e Segurança do Trabalho no Brasil. Nessas fiscalizações, foram alcançados mais de 3 milhões de trabalhadores. Os auditores fiscais do trabalho fizeram 16.545 notificações, autuaram 25.902 empresas e 1.108 foram embargadas/interditadas.

O que podemos “aprender” com esses dados é que existe no Brasil um grave problema: o alto índice de acidente de trabalho e suas consequências à sociedade.  Portanto, se você tem uma empresa é preciso ficar atento a qual segurança seus funcionários estão tendo na rotina de trabalho. Por conta de todos esses detalhes,  fazer o atestado admissional e o demissional é importante para a empresa que se preocupa com a saúde do trabalhador.

Fonte

Texto 2: Brasil ocupa quarta posição no ranking de acidentes de trabalho

Muito se vê, pouco se lê (sobre o assunto) – o fato é que as mortes, acidentes e doenças relacionadas ao trabalho são uma questão de saúde pública muitas vezes “invisível”, e até “naturalizada”, dizem os especialistas. No Brasil, quarta posição no ranking mundial, a Previdência Social registra por ano cerca de 700 mil casos, e, segundo dados do Observatório Digital de Segurança e Saúde do Trabalho, o país chega a contabilizar uma morte por acidente em serviço a cada três horas e 40 minutos.

De acordo com dados da Previdência oficial, entre 2014 e 2018 foi registrado no Brasil 1,8 milhão de afastamentos por acidente de trabalho e 6,2 mil óbitos. Na Bahia, esse número foi de 44.800 afastamentos e 272 mortes.

Com o objetivo de fortalecer a participação e o controle social nesta área, será realizada amanhã, via vídeo e webconferência, atividade preparatória para a 16ª Conferência Nacional de Saúde – e 10ª estadual. Organizado pela Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (Cistt), o evento acontece no Instituto Anísio Teixeira, na Paralela, às 8h30.

Com o tema Democracia e saúde: saúde do trabalhador no contexto do SUS, a reunião é voltada para conselheiros em saúde, representantes de movimentos sociais, de trabalhadores, além de técnicos. De acordo com a diretora de vigilância e atenção do Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador (Cesat), Letícia Nobre, entre as finalidades do encontro estão a de mobilizar diversos atores da sociedade em torno de “algo grave e bastante complexo”.

“Esse é um assunto bem amplo. Um problema de saúde pública importantíssimo, que fica completamente invisível ao grande público, aos gestores (de empresas e organizações), algo muito naturalizado. Como se o trabalhador sair de casa e se acidentar ou morrer fosse algo normal. É preciso uma compreensão maior do que é acidente, o porquê de eles acontecerem, e o motivo de não se adotar medida de prevenção e segurança. A irresponsabilidade e negligência em relação à gestão da saúde e segurança no trabalho é imensa no Brasil”.

Fonte

Texto 3: Gráfico

Fonte

Texto 4: Charge

Fonte

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!