Desafios do Ensino Superior no Brasil

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Desafios do Ensino Superior no Brasil”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1: DESAFIOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NA PANDEMIA

Um cenário que exige cuidados

“Quando iniciamos a suspensão das atividades nas universidades federais, não imaginávamos um cenário tão dilatado e imprevisível”, disse o reitor da UFBA, João Carlos Salles, ao iniciar a primeira fala do webinário. Para ele, as universidades públicas oferecem um espaço de convívio, trocas e diálogos que as tornam lugares de relacionamentos essencialmente presenciais. O filósofo avaliou a escolha entre o ensino emergencial a distância e suas consequências e a suspensão das atividades universitárias neste momento de pandemia.

“Sabemos que um ensino à distância de qualidade só se dá com universidades presenciais de qualidade e que realizam ensino, pesquisa e extensão”, afirmou Salles. Segundo ele, este momento de suspensão de atividades ou de continuidade do ensino pela tecnologia proporcionou reflexões em relação à didática inadequada que já vinha sendo adotada por muitos professores em universidades. “As atividades presenciais poderiam se enriquecer com os novos recursos remotos apresentados. Há professores que não conseguem ter um comportamento didático adequado, com aulas monótonas, chatas, indevidas, mal preparadas”, afirmou ele, que também é professor universitário e conhece bem essa realidade.

Um aspecto fundamental a ser considerado no contexto da pandemia, levantado por João Carlos, é a dificuldade que muitos alunos de universidades públicas teriam para acessar as aulas. “Dentro da realidade de nossos estudantes, há um déficit de acesso a tecnologias digitais que afetaria também a vida universitária. Atividades remotas, nesses casos, nos levariam a excluir ainda mais os já excluídos”, disse.

Além disso, a capacitação dos docentes das universidades também é básica para lidar com a nova forma de ensino. “Há docentes com um letramento digital incipiente e com uma cegueira acerca de estratégicas didáticas. Temos um cenário que exige muito cuidado neste momento”, lembrou o professor. “Talvez um dos legados da pandemia seja pensar um novo modo de promover ações nos próximos anos. É preciso reorganizar a maneira como a excelência acadêmica se manifesta e restabelecer, com o auxílio de ações remotas, os laços essenciais entre pesquisa, ensino e extensão”, afirmou Salles,

O papel que as universidades públicas desempenham na sociedade também foi destacado pelo reitor da UFBA. “As instituições de ensino superior e seus modelos de autonomia, um direito garantido pela constituição às universidades, que mantém regras próprias de administração, finanças e produção de conhecimento independentes de governos, incomodam as gestões políticas atuais do país”, apontou Salles, que é membro titular fundador da Academia de Ciências da Bahia e membro da Academia de Letras da Bahia.

Fonte

Texto 2: Os problemas crônicos do nosso Ensino Superior

Leia mais em: https://veja.abril.com.br/blog/educacao-em-evidencia/os-problemas-cronicos-do-nosso-ensino-superior/

Texto 3: Gráfico

Fonte

Texto 4: Charge

Fonte

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!